Vereadores de Taboão aprovam requerimento sobre aumento de salário dos servidores

0
31

Na falta de uma oposição contundente na Câmara Municipal de Taboão da Serra, vereadores lutam pelo poder e interferem diretamente no executivo em favor dos servidores públicos. Na última sessão ordinária, a Câmara aprovou um requerimento que expõe o governo de Fernando Fernandes (PSDB). Em meio a uma greve dos servidores na educação, os vereadores da base aprovaram um requerimento solicitando ao governo estudo sobre a possibilidade de conceder aos servidores públicos municipais a implantação do vale- transporte e a aplicação do dissídio da categoria. A prefeitura tem prazo de 15 dias para responder ao requerimento.

O documento foi apresentado por todos os vereadores, Joice Silva (PTB), André Egydio (PSDB), professor Moreira (PSD), José Aparecido Alves (DEM), Johnatan Noventa (PTB), Marcos Paulo (PPS), Ronaldo Onishi (SD), Rita de Cássia (PSDB) e Priscila Sampaio (PRB). Durante a apreciação do requerimento em plenário o requerimento foi subscrito pelos vereadores Érica Franquini (PSDB), Alex Bodinho (PPS), Carlinhos do Leme (PSDB) e Eduardo Nóbrega (PSDB).

A realidade que está escondida por trás das cortinas é uma disputa de poderes entre os vereadores que insistem em dizer que querem fazer parte da sucessão de Fernando Fernandes, em 2020. A presidente deixou claro quando falou… “Hoje, nós temos um grupo de nove vereadores e chegamos à conclusão que é preciso mostrar aos servidores a real situação da prefeitura com números e dados, deixando claro o que pode ou não ser feito. Não queremos mais ouvir histórias que vereador A, B ou C vai conseguir. A melhor forma de mostrar isso e esclarecer é através dos dados reais. Assim daremos resposta a todas as categorias, sem fazer politicagem e sem jogo com a categoria A ou B. Eu tenho confiança no governo. Nós não estamos colocando em xeque a palavra do prefeito, mas não podemos ter a nossa colocada também, por isso queremos responder de acordo com a realidade”.

Quando ela diz isso ataca diretamente o vereador Eduardo Nóbrega (PSDB), que se apresenta como principal nome de Fernandes para a sucessão. Nóbrega, por sua vez tentou contemporizar afirmando que os projetos não são opostos e vão se unir adiante. Para ele os vereadores querem ser atores do processo de sucessão, que segundo ele é legítimo. “A verdade é que os projetos se somam e não se colidem. Fico feliz de saber que a Câmara vai discutir com empenho essa questão”, disse Eduardo Nóbrega.

Mas, rebateu com força, “Um recado muito duro e direto ao prefeito Fernando Fernandes. Esse grupo vitorioso tem demandas para serem resolvidas com o governo e parece que acham que o momento certo de cobra-las é agora. Antigamente eu iria à tribuna para uma defesa cega do governo. É legítimo e eles têm força para isso. […] Não abala nada a base governista, mas mostraram as garras e o caminho que vão seguir”, diz Nóbrega.

Fernandes tem repetido há mais de um ano que as condições financeiras da Prefeitura impedem qualquer tipo de reajuste ao funcionalismo. A última declaração que tratava do tema foi durante a inauguração do restaurante Bom Prato, no início do mês.

“O dia que for dar aumento, não vai ser para uma categoria. Vou dar aumento para todos. E só não dei aumento até agora porque eu tenho responsabilidade. A nossa Prefeitura não atrasa um dia o pagamento, paga todos os seus encargos corretamente. Eu prezo por isso. Não adianta eu querer dar uma de bacana e dar aumento e não conseguir pagar salário. Não faço isso”, reforçou o prefeito na ocasião.

Com informações dos Sites Taboão em foco e Jornal na net. A reportagem completa leia na edição imprensa do jornal Hoje em notícias que vai às ruas na próxima terça-feira, dia 30.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*