Sem atendimento, crianças padecem em Pronto Socorro Infantil de Taboão da Serra

0
62

Na noite de segunda-feira, 04, o Pronto Socorro Infantil de Taboão da Serra – PSI viveu momentos de terror para as crianças que esperavam para serem atendidas. O tempo de espera era mais de seis horas relata a mãe de uma criança que esperava o atendimento. O hospital ficou lotado o dia inteiro e apenas um médico atendendo. “A gente fica aqui aguardando o atendimento em condições subumanas. Não tem ar aqui. Falta tudo nesse hospital”, relatou uma mãe nervosa.

Crianças esperam por mais de seis horas para serem atendidas no PSI
Crianças esperam por mais de seis horas para serem atendidas no PSI
Até a recepção do Pronto Socorro lamentou o fato. “Olha, estamos tentando fazer de tudo; mas, não temos estrutura para atender todos. Está muito cheio”, afirma a recepcionista do PSI.

Impacientes, as mães acusavam a falta de atenção dos funcionários e dos médicos. Segundo Cristiane Rodrigues, mãe de menina que aguardava para ser atendida, os funcionários são mal educados e os médicos ficam revezando para o outro descansar. “Isso aqui é um verdadeiro inferno. Os médicos ficam lá dentro e as chamadas acontecem de hora em hora”, garante Cristiane.

Durante o período que a reportagem estava no local uma criança passou mal e vomitou, desesperada a mãe entrou correndo empurrando a porta. O tempo que a equipe ficou no PSI ninguém foi limpar o vomito da criança.

Moreira constata o descaso da prefeitura
Vereador Professor Moreira (PSD) foi ao PSI e constatou o caos. Ele foi falar com a direção que não informou quase nada. Quando o vereador estava observando e falando com as mães das crianças veio a informação para ele se retirar. Moreira ficou anotando as reclamações e garante que vai levar o caso adiante. “Isso é um verdadeiro massacre do povo taboanense. Não podemos mais aguentar isso tudo. Vou levar o caso para a Justiça e também aos direitos Humanos”, afirma o vereador.

Aprígio também entrou no PSI
Voltando de uma reunião com moradores do Santo Onofre, o ex-vereador Aprígio foi abortado por munícipe que queria avisar e pedir ajuda sobre a situação no Pronto Socorro Infantil. Aprígio foi ao local e constatou a grave situação. Ele conversou com várias pessoas e ficou sensibilizado com o problema. “Como pode isso?” indagou perplexo. “Estamos vivendo um mundo desigual, quando o prefeito cuida dos seus, a população fica assim, em total abandono. Vou denunciar as autoridades sobre o que eu estou vendo”, disse Aprígio.

Prefeito Fernando Fernandes e vereadores da Base contestam a situação
Logo que soube das presenças de Moreira e Aprígio no PSI, o prefeito Fernando Fernandes (PSDB) chamou a base aliada do governo na Câmara Municipal e foi até a delegacia. Ainda não se sabe qual o motivo da insatisfação do governo. Contudo a crise na saúde avança.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*