Racha entre os petistas Doda e Edvânio marca sessão de Embu e vereador Edvânio deixa a liderança do PT

0
17

Por Renata Gomes

Vereador Edvânio Mendes de Embu das Artes
Vereador Edvânio Mendes de Embu das Artes

A sessão da Câmara Municipal de Embu das Artes realizada na quarta-feira, 16, foi marcada pelo discurso de desabafo e de acusação de traição do vereador Edvânio Mendes para o companheiro partidário Doda Pinheiro, do PT.

Usando versículos bíblicos e falando diretamente ao vereador Doda, foram quase 10 minutos de discurso do agora ex-líder do PT, Edvânio Mendes. O ápice do rompimento da relação que já tinha desgastes há tempos, segundo informou Edvânio, foi por causa de uma emenda do deputado Carlos Zarattini para a instalação de câmeras de segurança no Pirajuçara. “ Sabemos que a política tem des-sabores, o fim justifica os meios, essa frase é para ilustrar a que ponto chega a desonestidade política, nem todos os políticos são iguais. Tem políticos que ao invés de trabalhar se preocupa em destruir o nome dos outros, por isso não se importa com nada, não se importa se é companheiro de partido, não é vereador Doda”, atacou.

Edvânio informou ser perseguido há tempos pelo companheiro durante entrevista à imprensa. E disse que pediu a saída da bancada através do estatuto e afirmou que não irá sair do partido. “Quero informar aos meus pares que estou deixando a liderança do partido dos trabalhadores com a mesma transparência que tive em meu mandado. Maldito homem que confia no homem. Nunca antes nessa cidade se viu tamanho mal caratismo. Não posso ficar em silêncio. Não tenho ódio nem raiva. Este desabafo é para apenas esclarecer as coisas”.

Já o vereador Doda, disse ao jornal Hoje que não vale a pena esticar o chiclete. “Meu caráter e educação dizem mais que as palavras deles”. Na tribuna, Doda limitou sua resposta em menos de um minuto. “Eu quero dizer três coisas. A palavra vale prata, o silêncio vale ouro. Eu sou um homem casado. Terceiro, particularmente eu não tenho nenhum problema quanto a disputa política, disputa pelo poder, gostaria de deixar claro. Não vou responder na altura que merece porque não vale a pena me desgastar” e finalizando, o vereador ainda usou o termo moderno de uma cantora de funk, “beijinho no ombro que o recalque passe longe”.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*