Público menor e chuva forte marcam a 60ª edição da Paixão de Cristo em Taboão da Serra

0
100

Mais dinâmica, a atração trouxe novas passagens da vida de Cristo e alterações na cena da crucificação

Por Felipe Oliveira

Paixão de Cristo 4Mesmo com forte chuva, o público que foi ao estacionamento do Parque das Hortênsias, na sexta-feira, dia 25, para assistir a tradicional peça teatral da Paixão de Cristo, não se decepcionou. A atração deste ano completou 60 anos.
Com algumas mudanças em relação aos anos anteriores, a cena da crucificação, que tradicionalmente acontecia no morro do Cristo, ocorreu toda no cenário devido as obras de canalização do córrego Poá. Segundo a organização, seis mil pessoas acompanharam o espetáculo. Porém, havia bem menos.

O enredo da história também apresentou alterações. Com mais ênfase nas cenas da vida de Cristo, a peça ganhou mais corpo e dinamismo, sobretudo na cena do calvário. “A gente queria levar para o público mais emoção, tenho certeza que conseguimos essa resposta, porque com a encenação toda aqui, as pessoas ficam mais próximas dos atores”, afirmou Amaral, produtor do espetáculo.

Por volta das dez horas da noite o espetáculo teve um fim digno de cinema, com o ator Clayton Novais, que mais uma vez deu vida a Jesus, sendo alçado aos céus por uma corda. Para completar, enquanto a plateia aplaudia e se emocionava, fogos de artifício explodiam ao fundo. Antes do amém, o Monsenhor Aguinaldo rezou o Pai Nosso ao lado de todo o elenco.

Paixão de Cristo no Pirajuçara foi realizada em dois dias

Na rua do Poupatempo os fiéis acompanharam a vida, a morte e a ressurreição de Cristo

15ª-Paixão-ccO bairro com a maior população de Taboão da Serra também teve a sua celebração em forma teatral da Paixão de Cristo, em sua 15ª edição. Realizada ao lado do Poupatempo, na sexta-feira, 25, aproximadamente mil pessoas se emocionaram com o espetáculo que narra a trajetória de Jesus Cristo na terra. O mais interessante, porém, ficou para o domingo, que teve a encenação da ressurreição do Senhor.

A paróquia responsável pelo ato foi a São João Batista, que contou com 65 atores e 15 pessoas em multifunções de direção, figurino e sonoplastia. Com pouco mais de duas horas de duração, o elenco reviveu cerca de 20 passagens do evangelho.

15ª-Paixão-Ressurreição-ccA grande novidade foi a cena da entrega da cabeça de João Batista, pedido de Herodíades a Herodes por meio da filha de Salomé. A encenação não fazia parte do enredo anterior. Como de praxe, a cena da crucificação de Jesus chamou bastante a atenção e impactou crianças e adultos, que foram às lágrimas. “Procuramos focar na dor e sofrimento de Jesus”, justificou a diretora-geral Claudilene Santos, de 31 anos.

Ao invés da avenida Fernando Fernandes, esta cena – crucificação – foi feita no terreno da Igreja São Lucas, próxima ao palco. Segundo a diretoria, as árvores, por estarem grandes, impossibilitaram a realização dessa parte da peça. Ela ainda disse que foi feito um pedido à prefeitura para um segundo palco, porém não foi atendido.
*Com informações do site Verbo Online

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*