Polícia faz buscas nas casas dos acusados de roubo na Câmara Municipal

0
134

O processo está sob segredo de justiça, afirmam o delegado Marcelo Santos e a promotora do MP Maria Julia Kaial Cury

Os ex-servidores  Jorge Isao Takada e Eduarda Rosana dos Anjos Silva são acusados do rombo milionário na Câmara de Itapecerica
Os ex-servidores Jorge Isao Takada e Eduarda Rosana dos Anjos Silva são acusados do rombo milionário na Câmara de Itapecerica

A manhã de sexta-feira, 20 de fevereiro, foi movimentada na cidade de Itapecerica da Serra. De acordo com informações exclusivas obtidas pelo Jornal Hoje em notícias, a Polícia fez buscas nas casas dos ex-funcionários da Câmara de Itapecerica, Jorge Isao Takada, Eduarda Rosana dos Anjos Silva e Fabiane Teles dos Santos, acusados de cometerem fraude contábil que culminou no rombo de R$ 2,4 milhões, somente no exercício de 2013, segundo apontamento do Tribunal de Contas de São Paulo (TCE).
O delegado de polícia titular de Itapecerica da Serra, Dr. Marcelo Santos atendeu a equipe de reportagem do Jornal Hoje em notícias na tarde de segunda-feira, 23, e informou que o processo está sob segredo de justiça e nenhuma informação será disponibilizada até o encerramento das investigações do caso. “Foi decretado segredo de justiça e não posso comentar sobre o assunto. O caso está aqui na Delegacia de Itapecerica e se tiver algum agente político envolvido volta para a Seccional”, afirmou o delegado.
Também fomos atendidos pela promotora de justiça Maria Julia Kaial Cury que não pode passar informações alegando que o caso está sob segredo de justiça e apenas informou que foi instaurado um Inquérito Civil no Ministério Público para apurar crime de Improbidade Administrativa.

Acusados respondem processo em liberdade
Os ex-funcionários da Câmara Municipal de Itapecerica confessaram durante a Sindicância realizada pela Casa de Leis a fraude, prestaram depoimentos mas estão respondendo ao processo em liberdade.
De acordo com o Dr. Marcelo, os acusados não foram presos por uma série de fatores. “Muitas pessoas como no processo Lava a Jato não foram presas. Temos que analisar os requisitos, se eles não ferem a manutenção da ordem pública, se estão destruindo provas, enfim, como não temos essas ocorrências, eles estão respondendo o processo em liberdade”, justificou.

Cheque
Na primeira sessão do ano em Itapecerica, o vereador Sangue Bom (PDT) exibiu na tribuna, cópia do cheque emitido pelo ex-presidente da Câmara Municipal e atual prefeito Chuvisco, no último dia de 2012, quando deixou a Casa de Leis, em nome de sua esposa.
De acordo com o delegado, até o momento a Delegacia não recebeu nenhuma acusação sobre este caso e que tomou conhecimento através do jornal. “Vejo que o vereador está pedindo explicações e não fazendo acusações”, disse.

Vereador Cícero Costa fala que houve “excesso de confiança”

Vereador Cícero Costa, afirma que a Câmara Municipal, através da Sindicância está desmascarando suposta quadrilha familiar
Vereador Cícero Costa, afirma que a Câmara Municipal, através da Sindicância está desmascarando suposta quadrilha familiar

O vereador Cícero Costa, ex-presidente da Câmara Municipal de Itapecerica da Serra no biênio 2013-2014, concedeu ao Folha do Pirajuçara, entrevista e declarou que o ex-funcionário que estava há mais de 28 anos, nomeado desde 1989, prestando serviços para a Câmara Municipal de Itapecerica da Serra, Jorge Isao Takada se aproveitou do excesso de confiança nele depositado para realizar os desfalques.
“Hoje se eu encontrar com o Takada na rua eu posso chamar ele de ladrão. Com essa atitude o Isao jogou no lixo toda uma tradição e história familiar na cidade, envolvendo esposa, filho e até a cunhada”, afirmou o vereador.
Cícero informou que estão sendo levantados todos os bens da família do Isao. “Estamos pedindo o bloqueio de tudo. Mas isso só a Justiça. Para que a Justiça possa realizar o bloqueio dos bens, ela tem que ter argumentos e provas. Previamente já levantamos que ele tem um grande patrimônio que não corresponde ao salário do servidor”, disse.
O ex-presidente relatou os detalhes da sequência do caso. “Desde agosto de 2014, o TCE já havia apontado a irregularidade contábil. A Câmara foi notificada através do senhor Isao, sem o conhecimento dessa presidência. O senhor Isao enviou relatório maquiado ao TCE somente com a sua assinatura. A presidência dessa Casa só tomou conhecimento da gravidade do problema na primeira quinzena de dezembro de 2014. Com a “bomba” nas mãos, chamei todos os vereadores, expus o problema, na sequência abrimos uma Sindicância, onde foram ouvidos os três servidores que nesse primeiro momento não sabiam explicar o que estava acontecendo. No mesmo dia foram exonerados Isao, Eduarda e Fabiana. Diante dos fatos, contratei em caráter emergencial, seguindo todos os parâmetros legais a empresa Hopen para realizar uma auditoria na contabilidade da Câmara.
O vereador afirma que houve excesso de confiança no ex-servidor. “Eu não tenho nenhum conhecimento na área de contabilidade. Meu erro foi confiar em excesso num funcionário que tinha mais 28 anos na Casa. Eu tenho que provar que eu fui vítima de um esquema contábil. Eu e todos os vereadores”, falou.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*