“Perdemos nosso direito de ir e vir” reclamam moradores do Jardim Mirna, em Taboão

0
73

Mudança efetuada na rua Henrique Robba impede moradores e comerciantes de estacionar veículos nos dois sentidos da via

Por Renata Gomes 

Prefeitura implanta sinalização “proibido estacionar” nos dois sentidos da Rua Henrique Robba, no Jd. Mirna, em Taboão da Serra; moradores reclamam. FOTO: Ian Fagundes/HOJE

A reportagem do jornal Hoje em notícias esteve na Rua Henrique Robba, localizada no Jardim Mirna, em Taboão da Serra, na tarde de quinta-feira (15) e os moradores estão totalmente insatisfeitos com a mudança efetuada há uma semana na via.

A prefeitura de Taboão da Serra instalou placas de sinalização proibindo veículos de estacionar nos dois lados da via e os moradores contestam a ação afirmando que não foram consultados, informados e que a medida está causando transtornos.

Em entrevista exclusiva, a Assistente de Saúde Bucal Dejanira Silva Oliveira Lopes, que passou por um procedimento cirúrgico e está acamada protesta. “Cadê os nossos direitos? De ir e vir? Antes apenas um lado desta rua não podia estacionar e nós moradores aceitávamos, mas agora eles fazem isto nos dois sentidos? Pessoas vieram me visitar e tiveram que sair correndo porque não podiam ficar com os carros estacionados, com risco de ser multados. Não temos direito nem de fazer uma festa, porque onde nossos convidados vão colocar os carros? Está atrapalhando muito e em nenhum momento fomos procurados ou consultados”, afirmou.

Dejanira afirma que o bairro é muito esquecido pelo poder público e como depende muito do transporte público para trabalhar, na região do Pirajuçara, reclama também do ponto de ônibus que não tem abrigo e em dias de chuva é um sufoco, além da demora dos coletivos.

Além da reclamação da proibição de estacionar veículos nos dois sentidos, moradores também reclamam dos pontos de ônibus sem abrigo. FOTO: Ian Fagundes/HOJE

O técnico de segurança e instrutor Maurício Barros também criticou o governo municipal. “Aqui não tem nenhum registro de acidentes, a rua tem espaço suficiente para permitir o estacionamento na lateral do rio, para mim isto é só uma forma de querer faturar ainda mais com multas, pois eu e meu filho já fomos vítimas, recebemos multas por dirigir sem cinto de segurança e eu nunca fiz isto, está na minha formação”, contestou.

Delei Leal Lopes também reclamou e informou que os moradores estão se mobilizando para reverter a ação da prefeitura que está prejudicando o cotidiano de todos.

O jornal Hoje tentou entrar em contato com a prefeitura que não se manifestou até o fechamento desta matéria.

Confira a matéria completa na próxima edição impressa do jornal Hoje em notícias.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*