Passagem de ônibus aumenta para R$ 3.10

0
39
Usuários continuam esperando o motorista cobrar a tarifa. No destaque, o folheto fixado informando o novo valor da passagem.
Usuários continuam esperando o motorista cobrar a tarifa. No destaque, o folheto fixado informando o novo valor da passagem.

Já se passaram quase 15 dias do aumento da passagem no transporte coletivo de Ilhabela e os usuários ainda desconfiam da nova forma de cobrança. Desde primeiro de fevereiro, que os usuários estão pagando mais caro a passagem do ônibus, na Ilhabela. Para eles, mesmo com o subsídio no Bilhete Único não houve resultado imediato. Os atrasos ainda são constantes, os motoristas ainda cobram a passagem em jornada dupla de trabalho. Apesar dos esforços para cadastrar os usuários no bilhete eletrônico, a empresa que opera o serviço não apresentou uma proposta para conter a demanda. Por esta razão, muitos estão pagando o preço da passagem no valor cheio de R$ 3,10.
A reportagem do HOJE foi às ruas ouvir os moradores da ilha que utilizam o transporte coletivo. Eles ainda desconfiam sobre o ato do prefeito. Para Valda, moradora do São Pedro, o transporte precisa melhorar a qualidade. “Subiu a passagem e obrigou a gente a tirar esse tal bilhete. Mas não mudou, os ônibus ainda ficam parados um tempão no ponto. Não sei se isso vai dar certo”, afirma a caseira. Para o pedreiro Antônio, morador no Reino, o problema é o tempo de espera. “Melhorou um pouquinho, mas ainda fico esperando o ônibus no ponto”. A grande discussão está no transporte de turistas. “Quando agente não fica muito tempo esperando o ônibus; fica dentro dele, no calorão, pois os turistas não têm o cartão e o motorista tem que fazer o troco. Isso demora muito”, disse Gilberto morador do Itaguaçu.
Nota-se que o uso do bilhete foi pouco utilizado. O pedreiro Antônio, que ainda não tem o cartão, disse que irá se cadastrar na empresa e retirar o seu bilhete único.

Projeto polêmico
Os vereadores de Ilhabela aprovaram, no final de janeiro, em sessão extraordinária, o Projeto de Lei complementar que prevê a subvenção ao transporte coletivo na cidade. O projeto estipula o limite de R$ 500 mil para subvencionar passagens condicionadas ao uso do bilhete único nos próximos 90 dias. O dinheiro sai dos cofres da prefeitura e vai para a empresa para pagar parte da tarifa.
A vigência experimental será limitado no prazo máximo de 90 dias sendo que, dentro desse período, serão realizadas duas audiências públicas para que a comunidade possa avaliar as mudanças propostas. Após esse período será reavaliado a proposta.
Os vereadores reclamaram pelo fato de não conhecerem a planilha de custos da empresa e não sabem quantos usuários utilizam o sistema de bilhetagem eletrônico. Os vereadores exigiram que a Prefeitura enviasse à Câmara, mensalmente, a planilha de custos da empresa concessionária do transporte.
O executivo enviou vários substitutivos e foi preciso cinco sessões extraordinárias para aprovar no projeto que subsidia o bilhete eletrônico.
Com a aprovação, os passageiros que utilizam o bilhete único terão redução no preço da passagem, que passou a custar R$ 2,70, de segunda a sábado e no domingo poderá ser R$ 1,00.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*