Na 1ª vez em Itapecerica, Marília Mendonça faz rodeio ‘bombar’ e emociona público

0
76
Marília Mendonça canta e emociona grande público no primeiro show dela na festa de Itapecerica. Foto: reprodução

Na primeira apresentação no maior e mais tradicional rodeio da região, Marília Mendonça deixou arena dos sertanejos apinhada de gente e emocionou o público na abertura do último fim de semana de atrações da 39ª Festa do Peão de Itapecerica da Serra, já na madrugada de sexta-feira (14). “Musa da sofrência”, a jovem intérprete goiana – que faz 22 anos no próximo dia 22 – “machucou” o coração dos fãs, mas a pedido, e manifestou grande carinho pelos seguidores.

Em apresentação de 1h30, iniciada pouco depois de meia-noite e meia, Marília surgiu no palco sob “frisson” do público tomado de ansiedade por ver o ídolo e abriu o repertório com “Saudade do Meu Ex”, seguido de “Como Faz Com Ela”, “Alô Porteiro”. Na primeira interação com a plateia, ela fez, porém, uma “advertência”. “Neste show, estão proibidas três coisas: aqui você não pode chorar, nem vomitar, nem ligar para o ex, para a ex de jeito nenhum”, disse, espirituosa.

Marília emendou “Folgado”, “Meu Cupido É Gari”, “Falando em Saudades”, “O Que Falta em Você Sou Eu”, para depois brincar com produtor do show sobre as próximas canções. “Você pegou as duas mais sofridas do DVD e colocou juntas. Não vou cantar, não, na primeira vez em Itapecerica não vou enfiar ‘sofrência’ no povo”, disse, mas ouviu “canta, canta!”. “Eu vou cantar porque vocês mandam na minha vida. Depois não reclamem, viu?”, gracejou. Cantou “Não Casa Não”.

Vista hoje como a artista que mais canta a história dos relacionamentos amorosos, apesar da pouca idade, Marília cantou ainda novos e velhos sucessos como “Perto De Você”, “De Quem É a Culpa?”, “Infiel”, “Traição Não Tem Perdão” e “Amante Não Tem Lar”, quando deu “puxão de orelha”. “Já vi muitas histórias assim, a pessoa foi traída, já sabe de tudo, vive reclamando do relacionamento e ainda insiste em continuar com o infiel. Eu não vou poder ajudar, não”, avisou.

Em novo “pito” no produtor, ela disse que “o show tá legal, mas eu queria que incluísse músicas animadas”. “Tem muito solteiro feliz aqui, nem todo mundo está na sofrência”, falou. Mas ouviu como sugestão músicas de Pablo. “Você está de sacanagem, quer matar o meu povo do coração? Tem muita gente com frio que não tem conchinha para dormir hoje. Quero música animada, hora de arrumar uma conchinha é agora. A hora da sarrada”, disse, para cantar funk e rebolar.

“Quero sair da ‘sofrência’, mas ela não sai de mim”, brincou Marília para voltar ao “gênero” que a consagrou, sob gritos emocionados e chamados de “maravilhosa”, “linda” e “gostosa” dos fãs. “Obrigada, seus lindos!”, disse. No fim do show, voltou a agradecer. “Quero dizer que vocês são tudo na minha vida, minha gratidão vai ser sempre eterna. Eu não sou nada, mas não seria nem isso aqui não fossem vocês, não existiria palco, banda, equipe, nem DVD, música”, disse.

Feliz e falante, Marília exaltou ainda o público e o rodeio. “É tudo culpa de vocês, estou aqui hoje porque vocês pediram, vocês querem, vocês vieram. Vieram fazer minha noite maravilhosa, minha semana maravilhosa. Vocês foram incríveis, viu? Muito obrigada, Itapecerica da Serra!”, disse, com o vozeirão marca registrada. “Desse jeito, eu quero fazer show aqui toda semana”, finalizou, mas não o show. Cantou ainda mais duas músicas, entre elas “Hoje Somos Só Metade”.

Duas fãs saíram do interior da Bahia, da pequena Oliveira dos Brejinhos, para ver Marília no rodeio. “Foi maravilhoso, o melhor show da minha vida. Porque é a Marília, ela é especial”, disse Débora Portela, 21, emocionada. “Tenho irmão aqui em São Paulo, mas vim da Bahia nesta época só para pegar o show dela, nesse rodeio só vim para isso”, disse Fernanda Santana, 21. “Todas as músicas são boas. ‘Deixa [mesmo] de ser importante’ [‘Eu Sei De Cor’] é ótima”, falou.

Texto de Adilson Oliveira, verboonline.com.br

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*