Moradores bloqueiam via e protestam por limpeza de piscinão

0
32

Moradores do Jardim Independência, em Embu das Artes, não aguentam mais conviver com o mau cheiro, pernilongos, além de roedores e outros animais.

O jogo de empurra entre a prefeitura de Embu das Artes e o Governo do Estado sobre quem deverá realizar a manutenção do piscinão está prejudicando os moradores do Jardim Independência. No final da tarde de quarta-feira, dia 10 de julho, os moradores cansados de esperar por uma solução efetuaram um protesto em frente ao cruzamento que liga as ruas Av. João Paulo II, Rua Sucuri e a Rua Tomaz Antônio Gonzaga, em frente ao piscinão.

Moradores querem limpeza constante do piscinão. Cheiro, pernilongos, ratos e diversos problemas são causados pela falta de manutenção no equipamento - Foto Alexandre Oliveira.
Moradores querem limpeza constante do piscinão. Cheiro, pernilongos, ratos e diversos problemas são causados pela falta de manutenção no equipamento – Foto Alexandre Oliveira.

Acusando o prefeito de negligencia para a atual situação dos moradores vizinhos ao piscinão Nova República, os manifestantes bloquearam a via nos dois sentidos e por cerca de uma hora aguardaram no local esperando que alguma autoridade se apresentasse, criando um canal de diálogo. Apesar do apelo, nem o prefeito ou algum vereador compareceu ao ato para conversar com os manifestantes. Moradores denunciaram que o vereador Luiz do Depósito (PMDB) quebrou a manifestação, arrancando uma fita que impedia o tráfego no local. Segundo uma moradora, que pediu anonimato, ele teria dito para uma mulher “arrumar uma louça para lavar” ao invés de atrapalhar o trânsito no local.

Segundo a moradora do bairro, Marilu Araújo, outras reivindicações já foram levadas a prefeitura, mas sem resposta. A moradora disse que no ano passado houve uma limpeza parcial do piscinão e que ficou acordado que todo ano, após o período de chuvas o DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) deveria executar a limpeza do equipamento, mas este ano nada foi feito ainda.

“Um mês atrás eu pedi que eles viessem aqui fazer a dedetização. Veio uma pessoa, me pediu para assinar um papel e ele não voltou mais. Ele me disse que no Embu não existe uma empresa que faça esse serviço”, disse a moradora.

Marilu questionou o sistema do equipamento pluvial que concentra resíduos no fundo, acumulando agua suja e servindo de nascedouro de mosquitos e pernilongos, além de atrair ratos e outros bichos para as residências próximas. “Nós estamos sofrendo porque no piscinão tem uma agua que não sai e essa questão não foi resolvida pelo DAEE. Quando eles fizeram essa rua (João Paulo II) colocaram o esgoto de algumas casas ligado ao piscinão, então constantemente essa agua não tem vazão”, denunciou.

De acordo com a moradora Cristina das Graças Pereira, moradora do Jd. Independência há mais de 15 anos, a convivência com os problemas causados pela falta de manutenção do piscinão é inaceitável. “A gente está reivindicando que limpe o piscinão para poder acabar com os pernilongos, os ratos, porque é 6hs da manha ou seis da tarde é cheio de pernilongo. Não tem solução. Compramos por semana mais de cinco inseticidas e não dá conta” diz.

Segundo Cristina, seus filhos têm constantes problemas de bronquite devido à convivência com o piscinão. Ela ainda alertou que a falta de proteção no córrego Embu Mirim, que passa ao lado do piscinão tem se tornado perigoso, onde crianças tem fácil acesso ao córrego. “Uma menina já caiu ai dentro”, disse. A reportagem constatou a falta de segurança no local. O portão, que deveria estar trancado impedindo a entrada de transeuntes ao córrego, estava aberto e crianças brincavam próximo da água.

Prefeitura de Embu diz que não é mais responsável pela manutenção

Em um comunicado emitido no mês de março deste ano, a prefeitura de Embu das Artes informou que o Governo do Estado é o responsável pela manutenção do piscinão Nova República, o Piscinão da Sharp, inaugurado em 2009. A nota emitida pela prefeitura informou que o secretário municipal de Serviços Urbanos, Nelson José Pedroso, recebeu o engenheiro Ney Meyer, do Departamento de Águas e Energia do Estado (DAEE) e a limpeza foi requisitada.

O comunicado ainda informou que o piscinão estaria sendo esvaziado e que a medida demoraria três dias. No dia da manifestação a redação do jornal Hoje em Notícias constatou que muita agua está concentrada no fundo do piscinão, além de terra e entulhos que precisão ser retirados.

Apesar de não ser a responsável pela manutenção do piscinão, cabe a prefeitura a interlocução das necessidades dos moradores do local junto ao DAEE para a manutenção constante, além da execução de medidas necessárias para a boa convivência dos moradores do Jd. Independência com o equipamento. Foram empregados mais de R$ 30 milhões para a construção do equipamento que tem a capacidade de armazenar 500 mil metros cúbicos de água e é um dos maiores da região metropolitana.

Veja imagens da manifestação.

[wowslider id="5"]

*Alexandre Oliveira

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*