Moção de apoio a presidente da CBF não é votada na Câmara

0
8

Vereadores taboanenses recuam de apoio a José Maria Marin, ligado a eventos da Ditadura Militar

IMG_2940Uma Moção de Apoio de autoria da vereadora Joice Marque Silva (PTB) e do presidente da Câmara de Vereadores de Taboão da Serra, Eduardo Nóbrega (PR), direcionada ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, não foi apreciada na última sessão da Câmara como estava em pauta. A Moção, envolta de especulações, ganhou atenção da mídia nacional após um texto em repúdio publicado no blog do jornalista esportivo Juca Kfouri, no portal de notícias UOL.

O texto, que não foi escrito pelo jornalista e sim pelo responsável pela Secretaria do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), José Afonso da Silva, afirmava que “se os vereadores votarem favoravelmente, nesta terça-feira, ao Requerimento que propõe apoio a José Maria Marin, Taboão da Serra também ficará conhecida nacionalmente por dar guarida a um político corrupto, agente da ditadura militar e corresponsável pelo assassinato de jornalistas”, enfatizou um dos trechos da carta publicada no Blog, com aval de Juca.

Em entrevista ao Jornal Hoje em Notícias, na sessão da Câmara dos vereadores de Taboão da Serra, o presidente da Casa, Eduardo Nóbrega, tratou de desqualificar as tentativas de vincular o beneficiário da Moção a um possível apoio à Ditadura Militar. “Essa moção decorre de um pedido feito pelo deputado estadual Campos Machado (PTB), e a líder do PTB na casa, a vereadora Joice Silva encampou esse pedido e apresentou essa Moção. Eu tenho uma ligação muito próxima com o Marin, que é uma pessoa enquanto vice-presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF) sempre olhou com carinho pro Clube Atlético Taboão da Serra (CATS). Eu aderi ao pedido da vereadora Joice no sentido desportivo”, disse.

Morte de Herzog

Eduardo tratou de fugir da polêmica sobre a conduta de Marin à época da Ditadura, que culminou na morte do jornalista Wladimir Herzog, diretor da TV Cultura. “Tem que separar as coisas. O Marin está sendo atacado como presidente da CBF pelo Romário (ex-jogador de futebol e deputado federal) que visa à eleição do Andrés Sánches (ex-presidente do Clube Corinthians Paulista) à CBF. Então essa é a balbúrdia que surge. E algumas pessoas tentam rebuscar situações do passado que acredito que a Comissão da Verdade, que deveria ter sido instalada no governo do PT e até hoje não houve frutos nenhum disso, se houver alguma circunstância, certamente terá que ser responsabilizado”, enfatizou.

No texto, publicado pelo UOL, Marin é descrito como “entulho autoritário”, ou seja, remanescente de um dos períodos mais sombrios da história do Brasil, onde direitos fundamentais foram desrespeitados, seres humanos foram torturados e a democracia foi pisoteada.

*Alexandre Oliveira, com informações do UOL.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*