Mais um dia de transtorno para usuários de ônibus na região

0
231

Terminal Campo Limpo, antes de ser fechado, com circulação de alguns ônibus, mas usuários enfrentavam horas de espera - Foto: Renata Gomes
Terminal Campo Limpo, antes de ser fechado, com circulação de alguns ônibus, mas usuários enfrentavam horas de espera – Foto: Renata Gomes

Transtorno, falta de informação, horas de espera e gastos extras prejudicam passageiros
Pontos lotados vias sem ônibus. Essa foi a imagem registrada pela equipe do Jornal Hoje em Notícias na tarde dessa quarta-feira, 21, nas cidades de Embu das Artes e Taboão da Serra no segundo dia de paralisação de ônibus na capital que está prejudicando usuários da região.
Os relatos dos usuários entrevistados revelam muita. No Jardim Clementino, Alex Ferreira de Sousa, operador de embalagem, contou que estava no ponto há mais de duas horas. “Cheguei aqui às 12:50. Agora já são 15:35 e ainda não consegui pegar o ônibus para Osasco. Eu até liguei para alguns amigos que trabalham como cobrador e eles me disseram que nada está resolvido. Só acho que eles podiam avisar para a gente tentar se precaver”, relatou.
Usuários esperam por horas ônibus em pontos de Taboão da Serra e Embu das Artes - Foto Renata Gomes
Usuários esperam por horas ônibus em pontos de Taboão da Serra e Embu das Artes – Foto Renata Gomes
Em Taboão, as linhas circulares também pararam. Quem estava no ponto de ônibus acabou utilizando transportes alternativos que estavam cobrando entre R$ 4,00 e R$ 5,00 pela viagem. “Somos sempre prejudicados, vou ter que gastar mais dinheiro hoje”, disse Edinéia Silveira que precisou ir até o Centro de Taboão.
No terminal Campo Limpo, antes de ser fechado, às 16h ainda estavam circulando alguns ônibus, mas a espera também atrapalhou os usuários. “Eu tinha que entrar no serviço às 16h. Já são 16h20. Sai da minha casa às 13h30. Meu chefe me falou pra eu pegar um táxi, mas também não consegui”, informou Wanderson Rodrigues que estava tentando pegar o ônibus Terminal Bandeira.
Em declaração para a mídia, o presidente do Sindmotoristas (Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano), José Valdevan Noventa disse a paralisação não tem previsão para terminar e é realizada por opositores do sindicato.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*