Mães morrem na maternidade de Taboão e familiares acusam de negligência médica

0
130

Três pessoas morreram na unidade mista em menos de uma semana sem explicações
A jovem Angélica, 24 anos, morreu após um procedimento de parto cesárea realizado na Maternidade Municipal de Taboão da Serra. A família da vítima afirma que a jovem passou por complicações pós-parto e acusa a equipe médica de negligência.
Segundo familiares, a jovem deu entrada na maternidade no dia 26 de agosto para um parto cesariano seguido de uma laqueadura, o que é proibido por lei e corre risco para a mãe. Familiares informaram que durante o procedimento da laqueadura a jovem teria sofrido uma parada cardíaca e reanimada. Entretanto faleceu pouco tempo depois na UTI do Hospital Geral do Pirajussara para onde foi transferida após as complicações. A criança passa bem. A jovem morava na região do Jardim Record. Ela tinha outros quatro filhos.
Adriana Maria Andrade, 37 anos, e a bebê que esperava morreram na segunda-feira, dia primeiro de setembro, após realização de um ‘parto desastroso’ na mesma maternidade. A moradora do Parque Marabá deu entrada na unidade por volta das quatro horas da manhã e o bebê morreu às sete horas. Segundo o atestado de óbito, o bebê morreu por asfixia e com a clavícula quebrada. A mãe Adriana morreu após nove horas com hemorragia. Abalada, a família acusa a unidade de negligência e fez boletim de ocorrência. Adriana morava no Parque Marabá e deixou seis filhos.

[box type=”note” align=”alignleft” ]Leia mais

“Parto foi desastroso”, acusa o homem que perdeu a mulher e a sua primeira filha

Maternidade ignora o pedido do médico que fez o pré-natal e ainda o chama de louco

Câmara reage
[/box]

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*