Fernando Fernandes erra ao atacar Aprígio em aplicativo privado

0
68

O prefeito usou um método não convencional e invadiu alguns telefones celulares, conhecido como Smartphone, para atacar o ex-vereador e empresário Aprígio. Ele ignorou informações do seu secretário de Obras e recursos do governo federal para construções das creches. Aprígio se diz perseguido e inimigo do prefeito.

Aprígio se diz perseguido pelo prefeito Fernando Fernandes. Já Fernandes acusa Aprígio de dizer inverdades
Aprígio se diz perseguido pelo prefeito Fernando Fernandes. Já Fernandes acusa Aprígio de dizer inverdades

O prefeito de Taboão da Serra, Fernando Fernandes (PSDB) errou ao dizer que Aprígio não sabe o que fala durante entrevista coletiva publicada pelo site verboonline. O prefeito disse que houve um empréstimo da Caixa Econômica Federal para terminar as obras do Poá, mas esqueceu de dizer que o empréstimo foi feito durante a administração passada e que a Obra ficou paralisada há mais de um ano, período que houve uma morte durante enchentes, em fevereiro.

Essa informação foi anunciada pelo seu próprio secretário de Obras, Rogério Balsano durante Audiência Pública na Câmara Municipal, em Abril. Ele também ignorou que as creches inauguradas foram com recursos do governo federal, também herdada do governo passado. Fernandes fez esse comentário de forma não muito convencional, ele invadiu o WhatsApp de muitos internautas na cidade na última sexta-feira, 12. Esse aplicativo é usado em Smartphone para conversação de grupos de amigos de forma privada.

Esse ataque se deu por conta de uma entrevista publicada na terça-feira, 09, no site verboonline.com.br, onde o empresário afirma que Fernando Fernandes é o seu inimigo e está prejudicando o crescimento da cidade. Veja trechos da entrevista:

PERSEGUIÇÃO CONTÍNUA
O ex-vereador voltou a acusar Fernando de perseguição. “Eu achava que estava sendo perseguido, mas hoje vejo que estou enganado, quem está sendo perseguido são 8 mil e 500 associados da Cooperativa Vida Nova, pelo próprio prefeito. Como disse, não tenho como dar a mão para um inimigo, com esse prefeito não tem conversa! Estávamos fazendo uma quadra para as crianças jogarem bola, no bloco 8, e ele mandou parar, e as crianças não têm onde jogar bola. São 700 famílias que estão prejudicadas”, disse. “Eu quero ser prefeito para simplificar a questão da casa própria. Esse prefeito de hoje falou quando eu comecei a cooperativa: ‘Não comprem nada lá porque o Aprígio não vai entregar nenhum prédio’. Agora, eu pergunto, que obra esse prefeito fez na área de habitação aqui em Taboão da Serra? Só se for para a família dele, ele gosta muito da família…”, ironizou.

PACOTÃO DE OBRAS
Sobre o avanço das obras que Fernando Fernandes está tocando e que já começou a entregar, Aprígio disse que não acha que essas obras irão diminuir a rejeição do atual prefeito. “Tudo que ele fizer é obrigação dele, como político ele tem é que fazer mesmo. O partido dele prometeu e ele tá fazendo uma parte, ele nem começou a fazer, o que ele fez até agora foi muito pouco, está entregando ‘minicreches’, achando que está fazendo muito! Ele precisa criar 5 mil, 6 mil vagas em creche, ele fez uma creche que poderia atender uma cidadezinha do interior com 12 mil habitantes”, disse Aprígio.
HERANÇA DO ANTECESSOR
“Boa parte das obras que estão sendo executadas hoje são com o dinheiro do governo federal, que não é do PSDB. Essas obras ainda são resultado do governo Evilásio, eu mesmo votei R$ 50 milhões para obra do córrego Joaquim Cachoeira, mais R$ 75 milhões para combate a enchente no córrego Poá e até hoje as obras estão aí, veio dinheiro para isso. Votei R$ 55 milhões para região do Jardim Record e quem deixou esse dinheiro, mesmo num governo péssimo, muita gente diz isso, foi o Evilásio”, afirmou.

SEGUNDO TURNO
Sobre a possibilidade de haver segundo turno nas próximas eleições municipais, Aprígio acredita que isso não irá influenciar muito a opinião dos eleitores. “Não acho que [o segundo turno] vai ajudar. Quando se divide não melhora nem um, nem outro porque o Dr. Evilásio possivelmente já tem o seu eleitorado, apesar da grande rejeição que já vemos numa pesquisa que chegou às minhas mãos. Mas com certeza devemos ter vários candidatos, eu, o [ex-vereador] Valdevan [Noventa], o Dr. Evilásio, o atual prefeito, já são quatro candidatos. Se só tivesse dois seria só um ou outro, mas tendo quatro a coisa já vai mudar. Cada um tira um pouquinho e de repente não vai deixar ninguém decolar muito para o segundo turno.”

PESQUISA
Sobre pesquisa divulgada por um jornal da cidade, Aprígio disse ser coerente o resultado. “Quem está no poder é muito criticado, e aqui você não tem educação, nem saúde, nem habitação, nem segurança, nem transporte. É a terra do ‘nem’, nem isso, nem aquilo, não tem nada! Já o Evilásio, por outro lado, é aquele que tem uma grande rejeição igual ao prefeito atual. A rejeição deles é imensa! Me encontro praticamente em um empate técnico com ele [prefeito] e daqui pra frente a tendência é diminuir mais [o eleitorado de Fernando], porque o nosso prefeito está deixando muito a desejar. A tendência é cada vez mais perder votos”, avaliou.

NOVO PARTIDO
Perguntado se irá para o PSD de Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo e ministro das Cidades do governo Dilma Rousseff (PT), Aprígio não confirmou, mas deixou uma porta bem aberta. “Ainda não tem uma solução para onde vou, para qual partido, mas deixo aberto para convidar a todos os pré-candidatos que foram candidatos comigo a irem junto comigo. Agora, ainda no mês de junho quero definir para qual partido vou”, disse. Admitiu, porém, que “ele [Kassab] me convidou para ir para o PSD, tem muito interesse que eu vá e disse que garante a legenda e que não devo me preocupar com isso, que ninguém tira essa legenda”.

Aprígio confirmou nesta semana a filiação no PSD que irá acontecer no sábado, 20, às 17 horas, na Câmara Municipal.

Com informações portal: verboonline.com.br

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*