Fernandes estuda abono ao servidor para estancar racha na Câmara

0
8

Manifestação dos grevistas em frente a escola municipal. Foto: Siproem
O prefeito de Taboão da Serra, Fernando Fernandes (PSDB) se reuni com os vereadores na manhã desta segunda-feira, 29, para tentar conter o racha entre os vereadores da base. Em entrevista coletiva, ele disse que a rivalidade entre eles não pode prejudicar o governo. O requerimento aprovado pelos vereadores na última sessão expos o governo de Fernando Fernandes. Os parlamentares pediram explicações sobre aumento salarial e a possibilidade de conceder vale-transporte para os servidores em meio a uma greve. “Quando você vai dar aumento precisa ter responsabilidade e vê se vai conseguir arcar com isso. Estamos falando em aumento e pode ser que daqui há dois meses nós tenhamos que falar em cortes, reduzir o número de livres-nomeados, sei lá. O Brasil vive um momento incerto, os investidores estão desnorteados. O futuro do Brasil é uma incógnita. Nós temos que ter calma e observar a arrecadação. Eu sempre manifestei, aliás, tenho um compromisso com o funcionalismo. Quando eu tiver melhora na arrecadação vou dar aumento ao funcionalismo”, afirmou o prefeito.
Prefeito diz que vereador joga para a galera e arrepia quando vê povo ou funcionário. “Quando o vereador vê povo ou funcionário na frente dele, ele arrepia, e, às vezes, toma atitude para dar satisfação a quem está na frente. Eu acho que eles deram uma satisfação aos funcionários que estavam lá”, afirmou o prefeito.
Para o prefeito é preciso discutir a questão do abono com responsabilidade para evitar problemas futuros de atrasos salariais. É a segunda vez que Fernandes concede abono para os servidores em três anos, em junho de 2014, o prefeito deu um abono de R$ 200 em média para o funcionalismo público após greve de quase um mês. Na época, os servidores públicos de Taboão da Serra lotaram a câmara municipal durante sessão para acompanhar a votação de um abono salarial enviado à Casa em regime de urgência pelo Executivo. O abono variou entre R$ 100, R$ 150 e R$ 200, e contemplou parte dos servidores municipais.
A reportagem completa estará na edição impressa do jornal Hoje em notícias que circula nesta terça-feira, 30.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*