Famílias dos 175 alunos do Solar dos Unidos continuam sem reposta sobre manutenção do convênio

0
105

Prefeito Fernando Fernandes e secretária Arlete Silva não comparecem à reunião. Direção, coordenadores, professores e familiares decidem aguardar até o dia 9 de maio na esperança de conseguir um retorno positivo da continuidade do convênio entre a entidade e a prefeitura

Por Renata Gomes

Cerca de 100 pessoas participaram da reunião do Solar dos Unidos e saíram revoltados com ausência do prefeito Fernando Fernandes que ainda não deu resposta sobre manutenção do convênio com o projeto que atende 175 crianças no Jardim Clementino. FOTO: Renata Gomes/HOJE

Na noite dessa quarta-feira, 19, cerca de 100 pessoas participaram de uma reunião no Solar dos Unidos, unidade do Jardim Clementino, em Taboão da Serra para debater sobre o dilema que atormenta familiares, alunos, coordenadores e professores: a rescisão do contrato com a prefeitura municipal com a entidade sem fins lucrativos no projeto que atende 175 crianças e adolescentes no contraturno escolar.

Ansiosos por uma resposta positiva e com um olhar de esperança, os presentes aguardavam a possível presença do prefeito Fernando Fernandes (PSDB) ou da Secretária de Assistência Social Arlete Silva (PTB), mas nenhum deles compareceu.

O porta-voz da notícia que mais uma vez entristeceu e revoltou os familiares, vereador Professor Moreira (PSD), padrinho do Solar dos Unidos, disse que tentou até o último minuto, e que o prefeito ainda não deu nenhuma responsável favorável. “Para a renovação o prefeito quer que eu o apoie em tudo e ainda ameaçou que em janeiro vai tirar o convênio da creche também”, informou o parlamentar evidenciando mais uma vez que o governo municipal quer acabar com o convênio por motivações políticas.

Em Audiência Pública a Secretaria Arlete Silva afirmou que as crianças serão atendidas por uma nova unidade do CRAS que será aberto no Jardim Clementino, porém com capacidade menor de atendimento, menor carga horária e periodicidade de apenas duas vezes por semana. Hoje o Solar dos Unidos atende as crianças de segunda a sexta-feira, quatro horas por dia e com alimentação de qualidade, confirmada pelos pais e elogiadas pelas crianças.

Os familiares presentes contestaram que é necessário continuar a luta e protestar pelos direitos das crianças. Dayse Mary, voluntária do projeto e que já teve filhos atendidos pelo Solar dos Unidos, está à frente da mobilização diz que a força é protestar. “Uma hora o prefeito vai cansar, não podemos ficar escondidos atrás de uma pessoa só, vamos brigar, por um direito nosso, porque se a gente não fizer isso, o crime que é organizado está atrás das nossas crianças, e nós vamos nos organizar para não deixar que isso aconteça!” alertou. O argumento sobre a vulnerabilidade e o alto índice da criminalidade e drogas na região foi o mais utilizado nas falas dos pais e mães que clamaram para lutar pela manutenção do projeto.

O encaminhamento aprovado pelos presentes foi uma nova reunião no dia 09 de maio, às 19h na Ong Solar dos Unidos no Jardim Clementino. Segundo o vereador Moreira, a secretária Arlete Silva prometeu comparecer. Caso não haja uma reposta positiva a saída será organizada uma manifestação com o objetivo, mais uma vez, de sensibilizar o prefeito para a grande necessidade da manutenção do projeto. O prazo final estipulado pela prefeitura da vigência do convênio acaba em 21 de maio.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*