Família perde jovem de 22 anos vítima do Zica Vírus e acusa prefeitura de Taboão de negligência médica

0
52

Por Renata Gomes

Lucas Carvalho dos Santos de 22 anos faleceu na sexta-feira, 10, vítima do Zica Vírus e família acusa prefeitura de Taboão de Negligência.  Foto: Arquivo da Família
Lucas Carvalho dos Santos de 22 anos faleceu na sexta-feira, 10, vítima do Zica Vírus e família acusa prefeitura de Taboão de Negligência.
Foto: Arquivo da Família
Mais uma família está chorando por perder o jovem Lucas Carvalho dos Santos de 22 anos, do Jd. Clementino, Taboão da Serra que faleceu na manhã de sexta-feira, 10. Diagnosticado com a doença Zica Vírus, Lucas ficou na UTI do Hospital das Clínicas em São Paulo por 69 dias, mas não resistiu.

A mãe do jovem, Glaucia Maria Carvalho, acusa a prefeitura de Taboão da Serra de negligência médica. Segundo contou ao jornal Hoje, Lucas perdeu mais de 20 quilos em menos de 30 dias, teve perca de paladar, náuseas, vomitos e visão turvada. Ela procurou a UBS do Parque Pinheiros e passou com um Clínico Geral que disse a ela que o caso dele era Neurológico e deu uma guia de encaminhamento. “Ele disse que ia fazer exames, mas que o caso era com o Neuro. Porém a fila de espera para essa especialidade no Hospital Geral do Pirajuçara estava sendo de mais de um ano. Então eu tentei trocar a guia de encaminhamento que é branca por outra de urgência com o mesmo médico e ele me negou”, contou.

“Eu tentei antecipar a consulta com o neuro, implorei para ele trocar a guia, mas ele disse que eu tinha que levar o doente até ele. eu não tinha como levar ele naquele momento, o Lucas não conseguia nem ir no banheiro, não tinha ninguém aqui de carro e eles também não me ofereceram ajuda. Conversei muito mas ele não quis trocar de jeito nenhum”, denunciou Glaucia.

Com a negação do médico no Parque Pinheiros, Glaucia foi para o Pronto Socorro Antena. Lá eles fizeram uma bateria de exames e nada constou, apenas deram dramin pra ele, contou a mãe de Lucas.
Desesperada, Glaucia chegou a pagar uma consulta particular, mas o médico devolveu o valor da consulta e novamente falou que o caso do Lucas era neuro.

Glaucia ainda levou Lucas na USP e no Hospital das Clínicas, mas lá eles mandavam ela retornar e passar no Neuro em Taboão da Serra. Durante esse período o quadro de Lucas piorava e ele perdeu o movimento das pernas. Ele foi levado para o Pronto Socorro da Lapa e de lá foi diagnosticado com o vírus da Zica e o removeram para o Hospital das Clínicas onde foi incubado e na UTI por 69 dias.

Durante esse período, Glaucia usou as redes sociais para publicar diariamente o estado de saúde e pedir orações dos amigos e da família. O caso comoveu e também revoltou a todos. Ela chegou a gravar um vídeo para uma página do facebook contando o transtorno que vivenciou.

Glaucia diz que se o médico do Parque Pinheiros tivesse trocado a guia para urgência e o Lucas tivesse sido incubado antes as chances dele sobreviver poderiam ter sido maiores. “Foi negligência sim. E vou até as últimas consequências. Eles têm que pagar por esse erro”, desabafou.

Lucas Carvalho era um filho dedicado à família. Chegou a servir o exército, era atuante no trabalho na igreja evangélica e estava trabalhando no Outback do Shopping Taboão.

O velório do Lucas Carvalho será realizado no Cemitério da Saudade a partir das 18h30 desta sexta-feira, 10 e o sepultamento será às 9h30 de sábado, 11.

Outro lado
A prefeitura de Taboão da Serra não respondeu até o fechamento da matéria.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*