ESPECIAL DIA DA MULHER: Nordestina, pobre, sem estudo e vencedora!

0
230
A aposentada Maria de Deus conta como superou a violência doméstica. Ganhou a vida como manicure e se orgulha de ter duas filhas formadas – Foto: Renata Gomes/HOJE

A história de vida de dona Maria de Deus é o retrato de muitas mulheres do nosso Brasil. Moradora da periferia de Taboão da Serra no bairro Jardim Iracema há 40 anos ela lutou para criar seus três filhos. Nordestina, estudou até o quarto ano do ensino fundamental e foi vítima de agressões do marido que era alcoólatra.
Como muitas mulheres, sem parentes em São Paulo, aguentou por anos as situações de brigas e tentativas de violência que se encerraram após a separação e a morte prematura do ex-companheiro.
Trabalhou por quase meio século como manicure sem registro em carteira, o que pesou na hora de conseguir a aposentadoria. Hoje com 70 anos, Dona Maria conseguiu mesmo com ganhos muitos baixos sua casa própria e duas filhas conseguiram formação superior em Jornalismo e Administração. Em 2017 acabou perdendo o filho mais velho de 40 anos, vítima de problemas do coração.
Ativa, dona Maria há 10 anos faz exercícios físicos, primeiro com o objetivo de acabar com problemas de bursite, depois descobrir que a prática era alimento para sua alma. Ela dá graças a Deus de não ter problemas de saúde e reclama da grande demora para conseguir uma consulta na rede pública municipal.
Dona Maria tem as marcas da vida, mas se considera uma vencedora. “O segredo é ter fé, acreditar. Sofri agressões sim, mas nunca me calei, enfrentei e venci. Tenho orgulho de ter conseguido criar meus filhos, foi uma grande emoção ver minhas duas filhas formadas, coisa que estava tão distante da nossa realidade. A vida não é fácil, mas a vida é boa”, finalizou.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*