EMTU multa empresas de ônibus que circulam sem cobrador

0
103
Já é possível observar a ausência dos cobradores na maioria dos ônibus – Foto: FOTO: Mário de Freitas/Hoje

Há tempos que o governo do Estado de São Paulo estuda retirar os cobradores dos ônibus que circulam nas regiões metropolitanas da capital paulista e outras regiões. Os veículos da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) teriam apenas o sistema de bilhetagem eletrônica para cobrança das passagens.
A Resolução 68 da Secretaria dos Transportes Metropolitanos determinou a criação de um grupo de trabalho para analisar e atualizar o sistema de bilhetagem eletrônica. Mas até agora sem solução. Para o sindicato dos motoristas e cobradores, as empresas querem tirar o cobrador para aumentar os lucros. “A planilha de custos engloba no valor da tarifa a remuneração dos motoristas e cobradores. Os empresários querem cortar os cobradores para aumentar os lucros”, critica Ademir José da Silva, secretário-geral adjunto do Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC para o jornal O Estado de S. Paulo.

Na segunda-feira, 30, a Rede Globo divulgou no seu telejornal da manhã, Bom Dia São Paulo, uma reportagem sobre o abuso das empresas que mantêm o sistema na região. A reportagem trouxe um cenário caótico, ônibus lotado e passageiros reclamando.
Usuários que dependem do transporte intermunicipal da EMTU na região de Embu das Artes, Taboão da Serra e Itapecerica da Serra estão insatisfeitos com a retirada de cobradores dos coletivos. Segundo relatos, pelo fato dos motoristas exercerem duas ou mais funções quase ao mesmo tempo, como dirigir, cobrar tarifa e auxiliar no embarque e desembarque de pessoas com deficiência (cadeirantes), a atenção pode ser prejudicada, além dos ônibus demorarem para passar nos pontos.

Já é possível observar a ausência dos cobradores na maioria dos ônibus, como nas linhas 193 – Embu das Artes (Jardim Santa Tereza) / São Paulo (Metrô Capão Redondo) e 343 – Embu das Artes (Jardim do Colégio)/ São Paulo (Metrô Campo Limpo), São Judas (Taboão da Serra)/São Paulo (metrô Campo Limpo.
O Hoje em notícias entrou em contato com as empresas que movimentam o Consórcio Intervias e elas responderam que atendem a EMTU.
Em nota, a EMTU disse que já multou as empresas e continuam ignorando. Segundo a nota, foram aplicados 1.288 multas só no primeiro semestre desse ano. A estatal disse que tomará medidas mais enérgicas.

 

Fervima e Pirajuçara adotam essa prática em Taboão da Serra

Os passageiros da linha Parque Laguna – Pinheiros (068), em Taboão da Serra, disseram que foram pegos de surpresa com ônibus sem cobrador e tem atrasado as viagens. A linha 029 (Jardim Monte Alegre – Pinheiros) também opera sem o cobrador.

Pelas redes sociais, moradores de Taboão haviam feito o alerta. “Já ficamos mais de uma hora no ponto esperando o ônibus. E agora vai demorar mais porque o motorista vai ter que conduzir e cobrar. […]Queria que ficassem no ponto ao voltar do trabalho para ver se aprovam o que estão fazendo. O ônibus vai lotado e não tem lugar nem para sentar”, reclamou Sandra Sampaio.

A reportagem do Hoje conversou com outros passageiros que reforçaram as críticas pelas retirada dos cobradores. “Ônibus sem cobradores, a gente já tinha visto nos Circulares da cidade, mas até no intermunicipal está acontecendo, os cobradores precisam trabalhar também”, diz Flávio Silva. (MF)

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*