Contrato com empresa de ônibus acaba dia 1º de junho e Taboão pode ficar sem transporte público, prefeito nega

0
217

Edital de nova licitação ainda não foi publicado, mas prefeito negou que cidade ficará sem o serviço

Demora, superlotação e falta de funcionamento dos veículos adaptados para deficientes físicos são algumas das reclamações frequentes dos usuários de Taboão.
Demora, superlotação e falta de funcionamento dos veículos adaptados para deficientes físicos são algumas das reclamações frequentes
dos usuários de Taboão.

Os usuários do transporte coletivo de Taboão da Serra poderão ter problemas a partir da próxima semana. O contrato de concessão da prefeitura e a empresa Viação Pirajuçara/Fervima vence na segunda-feira, 1º de junho e até o momento, nem o novo edital de licitação foi publicado pela prefeitura, segundo a Secretaria de Comunicação.

Durante a inauguração da EMI Cuca, no Jardim Irapuã, o prefeito negou ao Jornal Hoje que a cidade ficará sem o serviço. “Eu acho
que a empresa Pirajuçara vai participar da licitação da nova licitação e ela não tem interesse em interromper o serviço até
que saia o resultado da nova licitação. Podemos fazer um aditivo para esse prazo. A cidade não vai ficar sem transporte público”, disse.

O Jornal Hoje tentou entrar em contato com representantes da Viação Pirajuçara, mas até o fechamento da matéria não obteve êxito.
De acordo com a Lei 8666/93, para aditar o contrato de concessão, que poderia ter prorrogação de mais cinco anos, mas não houve acordo entre empresa e a prefeitura, durante Audiência representantes da Viação Pirajuçara afirmaram que nem foram procurados, a prefeitura deveria ter feito o termo de aditivo, três meses antes, como consta na cláusula XIII, prazo de vigência e prorrogação, artigo 13.2.1 “… à Prefeitura, que decidirá, impreterivelmente, sobre o pedido, até três meses antes do término previsto, originalmente, para este contrato”.

As datas divulgadas pelo secretário de Transportes e Mobilidade Urbana de Taboão da Serra, Rinaldo Tacola Filho não foram cumpridas, segundo ele, o edital seria publicado no dia 04 de maio e a abertura das propostas em 17 de junho e a assinatura do novo contrato de
concessão válido por 15 anos seria assina no início de julho. O secretário não respondeu o jornal Hoje em notícias, até o fechamento da matéria, sobre o atraso do edital e nem como será feito a prorrogação do contrato vigente até a nova licitação.

O secretário também afirmou que a tarifa de ônibus deverá sofrer reajuste, mas não soube informar de quanto será esse aumento.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*