Ativista cultural se lança no mercado literário com livro “Em reticências”

0
210

Sem apoio da prefeitura e da Cultura de Taboão da Serra, a jovem Thayaneddy Alves, mãe de gêmeos, escritora, poetisa e articuladora do Sarau da Ponte pra Cá está levando seu trabalho para São Paulo

Por Renata Gomes

Escritora de Taboão lança livro de poesia “Em reticências” sem apoio da prefeitura e diz que a cultura na cidade está muito carente
Escritora de Taboão lança livro de poesia “Em reticências” sem apoio da prefeitura e diz que a cultura na cidade está muito carente
O nome é difícil de pronunciar e de gravar: Thayaneddy Alves e foi criado com uma junção do nome de seu pai e sua mãe. Para facilitar, o apelido Thata Alves é mais usado pelos amigos e amigas. Ela completou 24 anos neste mês de março, é mãe dos gêmeos Bryan e Brenno e os criou sem ajuda paterna. Moradora do Jardim Marabá/Oliveiras, ela lançou, sem nenhuma ajuda da prefeitura e nem da secretaria de Cultura, o livro de poesias “Em Reticências”, pela Academia Periféricas de Letras e agora luta para conseguir manter sua família com a literatura.

A história de Thayaneddy é longa e daria uma biografia extensa apesar da pouca idade. A menina-mulher tem marcado em seu coração e na sua memória muitas histórias, umas tristes, outras agressivas e enfim, desde os 12 anos ela transportava para os seus cadernos seus sentimentos, emoções, indignação e revolta!

Rogério Gonzaga da Candearte fundada por Geraldo Magela, autor do “pré fácil” do livro “Em Reticência” encontrou Thata há dois anos e a ajudou inserindo-a no movimento cultural indepente que realizam na cidade e assim nasceu a artista. “Ainda nem sequer completamos dois anos deste acontecimento, mas já foram várias descobertas. A primeira delas, foi um caderno cheio de poesias e pensamentos engavetados. Escrito desta menina-mulher, de muita essência”, descreveu o amigo.

O currículo é extenso: Ativista Cultural, poetisa, artesã e articuladora do Sarau da Ponte pra Cá que acontecia no Marabá e agora será na praça do Campo Limpo na primeira segunda feira de cada mês. Ela largou o emprego de recepcionista no Morumbi , até mesmo porque sofria preconceito por seu cabelo, e agora encara a dura missão de viver ou como ela define “sobreviver” da literatura através da venda de seu primeiro livro. O livro foi lançado no dia 25 de janeiro e em um mês foram vendidas 100 unidades.

Thata é uma mulher negra empoderada, que não tolera racismo, e usa os versos como armas. Ela compartilha com outras mulheres suas experiências. Um exemplo dado pela jovem é sobre o cabelo, ela conseguiu ser referência e empoderar meninas mais jovens de que o cabelo é uma coroa e faz elas terem orgulho de se assumir como negras. .
A jovem fica triste de não ter apoio do governo municipal e acaba atravessando fronteiras para sua voz ser ouvida e sua obra vista. “A Cultura em Taboão da Serra está muito carente. Eu estou indo pra São Paulo para divulgar meu trabalho. Moro aqui há quatro anos e a semente que plantei aqui são meus filhos. Nós artistas da cidade temos que migrar para longe para ter referência. Não temos cursos gratuitos e nem investimentos na área cultural, isto revolta”, desabafou.

Thata diz e escreve na sinopse da contracapa do livro “Em Reticências” que ela não emudeceu às blasfêmias expelidas, não deixou a cor da pele saciar apenas desejos sexuais e que não é a mulata ícone do carnaval.
Política, amor, amizade, racismo, solidão, felicidade, sexualidade. Há poesias para todos os gostos e sem títulos, pois Thata acredita que cada leitor pode criar um título diferente.

Como adquirir o livro
O livro “Em Reticências” pode ser adquirido nos saraus dos movimentos culturais periféricos ou através da página Thata Alves (Clique aqui). O custo é de R$ 20,00.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*