Aprígio processa vereador Eduardo Lopes

0
225

Ações indenizatórias podem chegar a R$ 450 mil, e ainda, o vereador poderá responder uma ação penal

Na semana passada, o vereador Eduardo Lopes  foi interpelado judicialmente em crime de Calúnia, Difamação ou Injúria.
Na semana passada, o vereador Eduardo Lopes foi interpelado judicialmente em crime de Calúnia, Difamação ou Injúria.

lopes siteO Empresário José Aprígio da Silva processou o vereador Eduardo Lopes (PSDB) e pede uma indenização de R$ 250 mil. Ele já havia interpelado o vereador judicialmente. Antes a Cooperativa Vida Nova já tinha processado Lopes pelo mesmo motivo e pediu R$ 200 mil em indenização. A somatória das ações chega a R$ 450 mil.

Na semana passada, o vereador Eduardo Lopes (PSDB) foi interpelado judicialmente em crime de Calúnia, Difamação ou Injúria. Segundo a peça judicial, durante a sua fala em tribuna teria atacado o ex-vereador Aprígio e o ex-prefeito Evilásio Farias. Aprígio quer que o vereador prove as calúnias. Eduardo Lopes terá 15 dias para comprovar as informações no Fórum sob de ação penal.

Lopes voltou à carga e atacou novamente o empresário na última sessão. Segundo ele, Aprígio teria recebido favorecimento durante a administração anterior. O empresário respondeu com mais um processo judicial.

O vereador Eduardo Lopes fez duras críticas a Cooperativa durante a última sessão no dia 14 de abril e voltou a atacar na sessão seguinte, dia 28. Aprígio em entrevista coletiva disse que o vereador não sabe o que fala. “O Lopes [vereador] não sabe o que está falando. Como vereador, ele precisaria se informar melhor. Talvez o Lopes não saiba que quem fez a avenida aqui foi a Cooperativa, quem fez a terraplenagem foi a Cooperativa, quem fez guia foi a Cooperativa, quem fez esgoto foi a Cooperativa, quem colocou água foi a Cooperativa, quem colocou luz foi a Cooperativa. A rua era particular e o prefeito desapropriou depois da rua pronta”, disse Aprígio em entrevista coletiva.

Aprígio foi mais além, “Então eu quero que ele [vereador Eduardo Lopes] me diga qual foi o prejuízo. Ele alega que quem faz desmembramento tem que doar uma faixa de terra para a prefeitura. Mas no nosso caso foi feito desdobro, caso em que não se doa nada para a prefeitura. É desdobro aprovado pela prefeitura. Ele não sabe nada.”
Procurado pela reportagem, Eduardo Lopes não quis falar a respeito.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*