Familiares denunciam que idoso de 81 anos foi levado da UPA para o Antena sem autorização

0
74

A família do senhor José Ribeiro de 81 anos, denunciou que na quarta-feira, 24, o paciente foi transferido da UPA Akira Tada para o PS Antena sem que os familiares autorizassem. Ele apresenta o quadro de insuficiência renal entre outras debilitações de saúde

antena

A filha do idoso, Ana Lucia, moradora do Jd. Monte Alegre, procurou a reportagem do Jornal Hoje para falar sobre o caso. “Não aceito é a forma que foi feita a transferência do paciente, sem avisar a família, ele tem uma família que o ama muito, jamais deixamos de cuidar dele, ele não é um indigente, acompanhei todos os dias que ficou no UPA, estou questionando o porque da falta de organização, o porque de não comunicar a transferência do paciente? Isso pra mim é falta de responsabilidade”, desabafou.

Ana também contesta o atendimento médico da unidade e afirma que seu pai foi liberado para casa sem estar bem. “No primeiro atendimento do dia 17/2/16, o paciente esteve na Upa, e o atendimento foi péssimo, o médico não foi capaz de nem auscultar o mesmo, somente aferil a pressão, e prescreveu soro com vitaminas. O que médico fez foi mandar da comida para o paciente que está muito debilitado, emagrecido, referiu que era falta de comida. Para mim foi negligência desse médico, pois não foi capaz de solicitar um raio X do paciente, mandou levar para casa. Conforme a orientação recebida, retornei com o paciente, que só foi se debilitando mais, até chegar ao quadro que se encontra. Não estou questionando o segundo atendimento que foi no dia 22/2/ 16, porque o quadro do paciente era grave, se ele tivesse sido atendido adequadamente no dia 17/2/16 o quadro não estaria assim”, criticou.
Na tarde de segunda-feira, 29, Ana Lucia, que também é enfermeira informou que o quadro clínico de seu pai continua grave, mas relatou que está sendo bem assistido pelos médicos e enfermeiros do PS Antena. Ela diz que a denúncia feita pela família é um alerta para a direção da unidade ter mais cuidado e que o caso não se repita com outras famílias.

Este não é a primeira vez que uma família denuncia a transferência sem a devida comunicação, no passo, parentes do jovem Claudemir Alves, de apenas 27 anos, que faleceu em 27 de março de 2015 com suspeita de dengue hemorrágica, foi transferido da UPA para o Hospital Geral Pirajuçara e eles só ficaram sabendo quando foram visitar e ele não estava mais lá. O caso também foi denunciado com suspeitas de negligência médica e segue, como vários outros casos, sem retorno à família e nem explicações.

Resposta da Comissão de Saúde
A presidente da Comissão de Saúde, vereadora Joice Silva (PTB), respondeu prontamente a equipe do Jornal Hoje informando que a UPA não faz internações. “A UPA recebe o paciente realiza o pronto atendimento e para casos de internação o paciente é encaminhado para o Antena ou HGP dependendo da necessidade e do estado clínico. A informação que eu obtive foi que na idade dele teria que ter alguém da família o acompanhando, assim na hora da transferência teria ciência do que estava ocorrendo, e que em caso de necessidade de transferência o hospital pode efetuar. Peço a gentileza que procure o plantão Administrativo do hospital ou direção clínica que eles te darão todas as informações que necessita”, respondeu.

Nota da UPA
Através da assessoria de imprensa da SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, em nota a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Taboão da Serra esclarece que o paciente em questão deu entrada na unidade na terça-feira, 23, com quadro clínico grave, sendo estabilizado após atendimento inicial.
É importante esclarecer que a UPA faz parte da política nacional do Ministério Saúde, e tem a finalidade de atendimento inicial à urgências e emergências, não sendo uma unidade de internação. Após um período de observação, caso exista a necessidade do paciente permanecer internado, é requisitada uma vaga em uma unidade de saúde que possua este perfil.

Os familiares presentes do paciente foram comunicados da situação, do diagnóstico do caso e da necessidade de transferência do mesmo para a Unidade Mista de Taboão da Serra (UMTS), referência para internação neste caso, conforme consta em prontuário. Foi prestado ao paciente todo o atendimento necessário, buscando a preservação de sua saúde e integridade física. A transferência para a UMTS foi realizada de forma rápida e eficiente, sendo que o paciente encontra-se internado e recebendo todo a assistência necessária.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*