ABSURDO: Jovem pode ter sido estuprada por técnico de enfermagem no PS Antena

0
54

Testemunhas relatam que viram o crime ser cometido e que foram coagidas a não falar sobre o caso; foram abertos boletins de ocorrências das testemunhas e também por familiares da vítima que não quiseram falar com a reportagem por determinação da Polícia que está investigando o caso

Por Renata Gomes

Suposto caso de estupro contra jovem de 29 anos pode ter sido cometida por um técnico de enfermagem do PS Antena
Suposto caso de estupro contra jovem de 29 anos pode ter sido cometida por um técnico de enfermagem do PS Antena
Mais uma denúncia grave da área da saúde revoltou os moradores da cidade de Taboão da Serra neste feriado prolongado de Páscoa. Desta vez, foi denunciado a ocorrência de um possível estupro cometido por um técnico de enfermagem dentro do Pronto Socorro e Maternidade Antena contra uma jovem de 29 anos que sofre de distúrbios psicológicos. O possível crime, segundo testemunhas, ocorreu na madrugada de quarta-feira, 23.

Pela gravidade do caso que está sob sigilo policial, a reportagem do Jornal Hoje irá preservar os nomes das testemunhas, do suposto criminoso, da vítima e de sua família. O jornal Hoje falou com a família da vítima que apenas relatou que este caso está na Polícia e que não tinham nada a declarar, pois foram orientados a não falar com ninguém sobre o caso, além disso, não querem exposição nenhuma e nem publicidade sobre o caso.

De acordo com as informações apuradas pelo Jornal Hoje, a vítima estava internada no PS Antena por causa de uma crise de distúrbio psicológico e tinha sido transferida do UPA que faz apenas atendimentos de emergência, mas não fica com pacientes internados. Testemunhas disseram que durante a madrugada, a vítima foi levada para o banheiro do quarto de internação pelo técnico de enfermagem e lá ele teria cometido o abuso sexual. A vítima, segundo as testemunhas, foi ameaçada com uma seringa enquanto o acusado a estuprava. Com medo de receberem medicação fatal do técnico de enfermagem acusado de cometer o crime, as testemunhas só relataram as ocorrências na manhã de quinta-feira, 24, ao contarem para a filha de uma das testemunhas tudo que aconteceu na madruga.

Após ter ciência dos fatos, a filha da paciente procurou a administração do Hospital, que segundo ela, a ignorou, conforme consta no boletim de ocorrência, disse pra ficar calada e que o caso seria resolvido por eles mesmos. Depois de algumas horas, sem o retorno da administração, a polícia foi acionada, porém a vítima já havia sido transferida para o Hospital Geral do Pirajuçara, segundo relatou a testemunha, e o boletim não pode ser feito naquele momento por causa da ausência da vítima e dos familiares.

Revoltada com a situação, que segunda a testemunha, se intrometeu porque poderia ter sido com ela, com uma filha dela ou até com a sua própria mãe, ela fez uma postagem através de uma rede social Facebook denunciando a ocorrência e também procurou no sábado, 2, a Delegacia Central de Taboão para fazer o boletim de ocorrência com as versões relatadas pelas testemunhas do suposto crime de estupro.

A filha da testemunha teria ainda, segundo consta em boletim de ocorrência, sido ameaçada caso não apagasse a postagem na rede social por dois homens que foram até a sua residência se identificando como policiais, e a ameaçaram para apagar a postagem na rede social. A denunciante não acatou a intimidação e disse que se for chamada para depor assim o fará, mas que não iria ficar calada diante de uma situação tão grave.

A Polícia, segundo relata a denunciante,após fazer o boletim de ocorrência foi até o Hospital Geral falar com a família da jovem que pode ter sofrido o abuso sexual e eles também registraram um boletim de ocorrência sobre o caso, mas não forneceram ao jornal Hoje porque foram orientados pela Polícia para não falar com ninguém sobre o assunto.

A família da vítima apenas disse que o caso está sendo tratado pela Polícia e que não tinham mais nada a declarar. Abalados emocionalmente com a ocorrência eles não querem exposição do caso.

Hospitais de Taboão já foram alvo de outras graves denúncias
O caso do falso médico que atuou no Pronto Socorro Antena e no Upa, a grave denúncia feita por uma enfermeira sobre a possível reutilização de seringas em pacientes e as várias mortes com suspeitas de negligência médicas denunciadas por familiares que até hoje segue sem respostas nem da SPDM e nem da Prefeitura foram denunciadas pela reportagem do Jornal Hoje e até veiculadas em rede nacional pela televisão.

Nota Oficial da SPDM
A Unidade Mista de Taboão da Serra (UMTS) esclarece que já foi aberta uma sindicância para apurar o caso mencionado pela reportagem. A UMTS não se omitirá em caso de constatação de qualquer irregularidade, tomando as medidas cabíveis para o caso. Além disso, prestou à paciente e seus familiares todo o atendimento e apoio necessários, buscando a preservação de sua saúde e integridade física.

Comissão de Saúde diz que vai aguardar investigação policial
A presidente da Comissão de Saúde, vereadora Joice Silva, falou ao jornal Hoje que recebeu a informação, solicitaram cópias de boletim de ocorrência e que aguardam o término da investigação policial. “ Nós estamos averiguando, já solicitamos informações da secretária de Saúde e também SPDM para que nos informe o ocorrido, solicitamos também as cópias de boletins de ocorrências. A informação que tivemos é que a política fará toda a parte de investigação e após essa investigação é que nós poderemos saber de fato o que aconteceu, se aconteceu, se não aconteceu para a gente poder tomar atitudes. Provavelmente o técnico de enfermagem estará afastado até a investigação chegar ao fim. Temos que ter responsabilidade nesse caso e não podemos afirmar nem que sim e nem que não ocorreu o fato. Se de fato for confirmado ele será punido porque isso não é atitude de um profissional que trabalhe no Antena ou em qualquer outro Hospital”, disse.

Líder do Governo Fernando Fernandes diz que a informação preliminar que tem é que o caso é falso
O vereador Eduardo Nóbrega (PSDB), líder do prefeito Fernando Fernandes na Câmara de Taboão disse que a informação preliminar que teve sobre o assunto é que o caso é falso. “Eu fiquei sabendo desse fato pelas redes sociais, tive um primeiro contato com o prefeito municipal que disse que está levantando as informações, consultei a presidente da comissão de saúde. A informação que eu tenho preliminar é que não é verdade o fato, que trata de uma pessoa que teria já relatado o mesmo fato que não se confirmou, e que a princípio é uma informação falsa. Mas evidentemente é uma informação muito grave e vamos levantar as informações e trazer a verdade. Semana que vem trago mais informações a respeito disso”, garantiu.

Propaganda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*